jusbrasil.com.br
16 de Agosto de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios TJ-DF: XXXXX-56.2021.8.07.0001 DF XXXXX-56.2021.8.07.0001

Detalhes da Jurisprudência

Processo

Órgão Julgador

8ª Turma Cível

Publicação

Julgamento

Relator

MARIO-ZAM BELMIRO

Documentos anexos

Inteiro TeorTJ-DF__07038285620218070001_ce595.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

PROCESSO CIVIL E CONSUMIDOR. APELAÇÃO CÍVEL. PLANO DE SAÚDE. EXAME GENÔMICO. RECUSA. CONTRATO DE ADESÃO. EXCLUSÃO CONTRATUAL. CLÁUSULA EM DESTAQUE E REDIGIDA COM CLAREZA. REALIZAÇÃO NO EXTERIOR. LEGALIDADE. ART. 10 DA LEI 9.656/98. PREVISÃO CONTRATUAL. SENTENÇA MANTIDA.

1. Nos termos do art. 10 da Lei 9.656/98, a cobertura assistencial médico-ambulatorial restringe-se a tratamentos realizados exclusivamente no Brasil, motivo pelo qual se mostra legal a recusa do plano de saúde em realizar o exame Oncotype DX, porquanto efetuado no exterior.
2. Diante da norma de regência, que instituiu o plano-referência de assistência à saúde com cobertura abrangendo tratamentos realizados exclusivamente no Brasil, sob pena de se tornar impraticável a atividade no país, e da apólice celebrada entre as partes, que prevê expressamente a exclusão de exames de genética realizados fora do território nacional, independentemente da coleta do material realizado no Brasil, impõe-se a improcedência do pedido autoral de custeio do exame reivindicado ou o respectivo reembolso.
3. Embora se admita que o médico responsável pelo acompanhamento da paciente é quem detém melhores condições de sugerir a terapêutica mais adequada para o caso, evidente que não se trata de uma admissão absoluta e irrestrita à atuação do profissional, notadamente quando há um arcabouço jurídico que regula a questão e deve ser considerado em sua integralidade.
4. Na hipótese de contrato de adesão, no qual consta cláusula de exclusão de cobertura redigida em destaque e de forma clara, em obediência ao art. , inc. III, c/c art. 54, §§ 3º e , ambos do Código de Defesa do Consumidor, forçoso reconhecer a sua validade.
5. Recurso não provido.

Acórdão

RECURSO NÃO PROVIDO. UNANIME.
Disponível em: https://tj-df.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/1407427821/7038285620218070001-df-0703828-5620218070001

Informações relacionadas

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 3 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO INTERNO NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL: AgInt no AREsp XXXXX PR 2018/XXXXX-6

Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios TJ-DF: XXXXX-97.2016.8.07.0001 DF XXXXX-97.2016.8.07.0001

Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Jurisprudênciaano passado

Tribunal de Justiça de Minas Gerais TJ-MG - Apelação Cível: AC XXXXX-39.2017.8.13.0079 MG

Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios TJ-DF: XXXXX-46.2021.8.07.0001 DF XXXXX-46.2021.8.07.0001

Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios TJ-DF: XXXXX-24.2019.8.07.0001 DF XXXXX-24.2019.8.07.0001