Entre no Jusbrasil para imprimir conteúdo de Decisões

Imprima Decisões de vários Tribunais em um só lugar

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

jusbrasil.com.br
20 de Setembro de 2018
    Adicione tópicos

    Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios TJ-DF - Apelação Cí­vel : APL 1075305020078070001 DF 0107530-50.2007.807.0001

    PROCESSUAL CIVIL. EMBARGOS DE TERCEIRO. AUTOMÓVEL. COMPRA E VENDA. INEXISTÊNCIA DE ÓBICE À CONSUMAÇÃO DO NEGÓCIO. APERFEIÇOAMENTO APÓS A CITAÇÃO DA ALIENANTE NO CURSO DE EXECUÇÃO PROMOVIDA EM SEU DESFAVOR. FRAUDE À EXECUÇÃO. CARACTERIZAÇÃO. IMPOSSIBILIDADE. BOA-FÉ DO ADQUIRENTE. PRIVILEGIAÇÃO.

    Processo
    APL 1075305020078070001 DF 0107530-50.2007.807.0001
    Orgão Julgador
    6ª Turma Cível
    Publicação
    12/05/2009, DJ-e Pág. 149
    Julgamento
    29 de Abril de 2009
    Relator
    TEÓFILO CAETANO

    Ementa

    PROCESSUAL CIVIL. EMBARGOS DE TERCEIRO. AUTOMÓVEL. COMPRA E VENDA. INEXISTÊNCIA DE ÓBICE À CONSUMAÇÃO DO NEGÓCIO. APERFEIÇOAMENTO APÓS A CITAÇÃO DA ALIENANTE NO CURSO DE EXECUÇÃO PROMOVIDA EM SEU DESFAVOR. FRAUDE À EXECUÇÃO. CARACTERIZAÇÃO. IMPOSSIBILIDADE. BOA-FÉ DO ADQUIRENTE. PRIVILEGIAÇÃO.

    1. ENCONTRANDO-SE O AUTOMÓVEL REGISTRADO EM NOME DA ALIENANTE E NÃO SUBSISTINDO NENHUM ÓBICE À SUA ALIENAÇÃO, NOTADAMENTE BLOQUEIO ANOTADO NOS ASSENTAMENTOS PERTINENTES AO SEU REGISTRO NO ÓRGÃO DE TRÂNSITO, A COMPRA E VENDA QUE O TIVERA COMO OBJETO REVESTE-SE DA PRESUNÇÃO DE BOA-FÉ INERENTE A TODOS OS NEGÓCIOS JURÍDICOS, ENSEJANDO QUE SEJA PRIVILEGIADA E RESGUARDADA A INTANGIBILIDADE DO NEGÓCIO, ASSEGURANDO-SE AO ADQUIRENTE A POSSE E PROPRIEDADE DO VEÍCULO.

    2. O SIMPLES FATO DE O NEGÓCIO TER SIDO CONSUMADO APÓS A CITAÇÃO DA ALIENANTE NO CURSO DA EXECUÇÃO QUE É MANEJADA EM SEU DESFAVOR NÃO É SUFICIENTE PARA DESQUALIFICAR A BOA-FÉ DO ADQUIRENTE, POIS, INEXISTINDO ÓBICE AO APERFEIÇOAMENTO DA COMPRA E VENDA E TENDO ADOTADO AS CAUTELAS EXIGÍVEIS PARA O TIPO DE TRANSAÇÃO, A DESQUALIFICAÇÃO DESSA PRESUNÇÃO RECLAMA COMPROVAÇÃO DE QUE TRANSACIONARA COM O INTUITO DE FRUSTRAR A EXECUÇÃO PROMOVIDA EM DESFAVOR DA VENDEDORA.

    3. DE ACORDO COM O IMPREGNADO NA PRAXE DOS NEGÓCIOS QUE ENVOLVEM VEÍCULOS AUTOMOTORES, O ADQUIRENTE, ANTES DE CONSUMAR A COMPRA, PERQUIRE SOMENTE SE O AUTOMÓVEL ESTÁ REGISTRADO EM NOME DA ALIENANTE E SE NÃO PENDE SOBRE ELE NENHUM ÓBICE APTO A CONSPURCAR OU OBSTAR A TRANSAÇÃO OU IMPEDIR A TRANSMISSÃO DO REGISTRO DO VEÍCULO PARA O SEU NOME, NÃO SENDO PASSÍVEL DE LHE SER EXIGIDO, COMO PRESSUPOSTO PARA O RECONHECIMENTO DE QUE CONTRATARA DE BOA-FÉ, QUE TIVESSE AVERIGUADO OS ASSENTAMENTOS PERTINENTES À VENDEDORA DE FORMA A AFERIR QUE NÃO PENDIA CONTRA ELA NENHUM DÉBITO OU AÇÃO PASSÍVEIS DE INTERFERIR NA LEGITIMIDADE DO NEGÓCIO.

    4. APELAÇÃO CONHECIDA E IMPROVIDA. UNÂNIME.

    Acórdão

    CONHECIDO. NEGOU-SE PROVIMENTO. UNÂNIME