jusbrasil.com.br
25 de Junho de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios TJ-DF: 0020522-54.2015.8.07.0001 DF 0020522-54.2015.8.07.0001

Detalhes da Jurisprudência

Órgão Julgador

1ª Turma Cível

Publicação

Publicado no DJE : 02/03/2020 . Pág.: Sem Página Cadastrada.

Julgamento

12 de Fevereiro de 2020

Relator

NÍDIA CORRÊA LIMA

Documentos anexos

Inteiro TeorTJ-DF__00205225420158070001_72f7b.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

CIVIL E PROCESSUAL CIVIL. AÇÃO DE REPARAÇÃO DE DANOS. CONTRATO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA DE IMÓVEL EM CONSTRUÇÃO. PRELIMINARES DE ILEGITIMIDADE PASSIVA E DE DENUNCIAÇÃO DA LIDE. REJEIÇÃO. MÉRITO: ATRASO NA ENTREGA DO IMÓVEL. CASO FORTUITO OU MOTIVO DE FORÇA MAIOR. INOCORRÊNCIA. TERMO FINAL DA CLÁUSULA PENAL. DATA DA ENTREGA DO BEM. LUCROS CESSANTES. CUMULAÇÃO COM CLÁUSULA PENAL. IMPOSSIBILIDADE. SUCUMBÊNCIA RECÍPROCA E NÃO EQUIVALENTE. DISTRIBUIÇÃO PROPORCIONAL. MANUTENÇÃO.

1. Evidenciado que a empresa ré, na qualidade de vendedora, participou das tratativas da venda da unidade imobiliária adquirida pela autora, impositivo o reconhecimento de sua legitimidade para figurar no polo passivo de demanda objetivando a aplicação de multa contratual em virtude do atraso na entrega do bem e o reconhecimento do direito à indenização por lucros cessantes.
2. A demora na concessão de ?habite-se? não caracteriza hipótese de caso fortuito ou motivo de força maior, de modo a eximir a empresa ré pela responsabilidade decorrente da entrega do bem após o prazo fixado contratualmente.
3. Decorrido o prazo de tolerância, sem que a empresa ré tenha promovido a entrega do bem imóvel à promitente-compradora, tem-se por aplicável a multa prevista na cláusula penal pactuada pelas partes.
4. A multa decorrente de atraso na entrega de imóvel deve perdurar até a data da efetiva entrega do imóvel à promitente compradora.
5. Por apresentar a finalidade de ressarcir os prejuízos experimentados pelo promitente comprador, a multa contratual para o caso de atraso na entrega do bem imóvel adquirido em fase de construção não é passível de cumulação com indenização por lucros cessantes ou por danos emergentes.
6. Caracterizada a sucumbência recíproca e equivalente, os honorários advocatícios devem ser fixados de forma proporcional, nos termos do artigo 21, caput, do CPC/1973.
7. Recurso de Apelação e Recurso Adesivo conhecidos e não providos.

Acórdão

CONHECER DOS RECURSOS, REJEITAR A (S) PRELIMINAR (ES) E, NO MÉRITO, NEGAR-LHES PROVIMENTO. DECISÃO UNÂNIME.
Disponível em: https://tj-df.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/817114440/205225420158070001-df-0020522-5420158070001

Informações relacionadas

Luiz José De Araújo Neto, Advogado
Modeloshá 5 anos

[Modelo] Petição - atraso na entrega do imóvel pela construtora

Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul
Jurisprudênciahá 3 anos

Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul TJ-RS - Apelação Cível: AC 0089552-05.2019.8.21.7000 RS

Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios TJ-DF: 0006935-04.2016.8.07.0009 DF 0006935-04.2016.8.07.0009

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 3 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO INTERNO NOS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO NO RECURSO ESPECIAL: AgInt nos EDcl no REsp 1816498 DF 2019/0139897-4

Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Jurisprudênciahá 2 anos

Tribunal de Justiça de Minas Gerais TJ-MG - Agravo de Instrumento-Cv: AI 10000200132363001 MG